quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Mais um ano

Este é um dia que espero poder comemorar por muitos mais anos. Não porque termina mais um ano e começa outro, que isso a mim não me diz nada, mas sim porque o meu pai completa mais um ano de vida. Desta vez 72 Invernos.
Na foto, eu e o meu pai, curiosamente tirada no dia 28 de Março de 1973, ou seja, completava eu 1 ano.
Parabéns papá e obrigada pelo que me tens ensinado ao longo destes anos e pelo apoio dado, que tem sido precioso.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Casa nova para "Telhas para Parasitas"


"Telhas para Parasitas" tem casa nova. Ontem eu e a galerista da trindade, fomos colocar o trabalho em casa dos novos proprietários.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Concurso de Ceramica de Valladolid

"Repouso para insectos"
Grês de várias cores, técnica da lastra, cozedura a 1100ºC em forno lenha. 2008. 70 x 10 x 200 cm.


"Macho / Femea"
Grês, técnica da lastra e cilindros, cozedura a 1200ºC com redução a gás. 2008. 19 x 19 x 141 cm / 19 x 19 x 136 cm.

Estes foram os dois trabalhos com que me candidatei ao concurso. Fui seleccionada com os dois, mas não passou daí. Não me foi possível ir montar os trabalhos, esperemos que os montem conforme o indicado, ás vezes há surpresas desagradáveis.

Inaugura no próximo dia 18 de Dezembro a exposição das obras premiadas e seleccionadas no XIV Concurso de Ceramica "Ciudad de Valladolid" - I Encuentro Internacional, na Sala de exposições de la Casa Revilla (C/ Torrecilla, nº 5 de Valladolid). A exposição poderá ser visitada até dia 6 de Janeiro de 2009.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

"REFÚGIOS" em Miguel Bombarda

“Berços”
Grês, técnica do rolo, cozedura a 1200ºC a gás com redução. 2008. 50 x 35 x 27cm / 45 x 24 x 21 cm.

A exposição "Refúgios" ainda pode ser visitada até ao final do ano, na Galeria Trindade. A galeria decidiu dar um presente de Natal. Quem aparecer na galeria com a revista "HAPPY" deste mês ou com apenas a pagina numero 20 tem direito a 20% de desconto em qualquer uma das peças. Na revista tem dois erros: o nome "Braga" e "pintura", mas é válido na mesma.
Galeria Trindade: Rua Miguel Bombarda, 200, Porto. De terça a sexta, das 14 ás 19h. Segunda e sábado, das 15 ás 19h. Tel. 22 208 85 28

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Contra tudo e contra todos. Com momentos bons e maus. Faz hoje 19 anos que lutamos para nos mantermos juntos. Esta foto foi tirada no verão passado pelo nosso querido Rafael.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Immortal Memory




"O medo de...
Com muito amor (que é o contrário do medo, expresso no ódio) para todas aquelas pessoas que queriam ser amadas e só conseguiram ser admiradas, que viram aqueles e aquelas que pensavam ser seus amigos transformados em vampiros emocionais ou profissionais, que os sugaram enquanto havia mais valias para explorar, que riram deles obscenamente mal lhes apanharam uma fraqueza e os calcaram e abandonaram quando os viram em baixo."

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Exposição Galeria Trindade

“Covil”
Grês, técnica mista, cozedura a 1150ºC a gás com redução. 2006. 50 x 50 x 5 cm
Este é um dos trabalhos que pode ser visto na exposição "Refúgios", na Galeria Trindade, na Rua Miguel Bombarda, 200, aqui no Porto.
Inaugurou a 8 de Novembro e ainda pode ser visitada até ao final do ano. Pela informação que tenho, continua a ser visitada e começam a ser adquiridas peças. Será que é por se estar a aproximar o Natal??

terça-feira, 25 de novembro de 2008

domingo, 23 de novembro de 2008

Novo dono


"Habitáculos"
Grês, fotografia, técnica mista, cozedura a 1150ºC com redução. 2006. 200 x 200 x 5 cm. Este trabalho tem a colaboração do meu irmão Rui Costa com as fotografias.

Já aqui tinha falado deste trabalho que esteve na exposição "From Womb to Tomb", na Galeria De Lawei, em Drachten. Ao fim destes meses, voltou para a Holanda, mas agora em definitivo. Encontrou um novo dono, que espero que o trate bem.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

"Culla Contemporánea"

É este o titulo da exposição que inaugurou ontem no Museu Nacional de Cerâmica Gonzalez Martí, Valência. Como já aqui tinha referido, um dos objectivos do encontro de Culla era realizar uma exposição itinerante. Esta é a ultima oportunidade de ver o que foi feito no ano passado no encontro de Culla. Nesta exposição encontram os trabalhos de Gerd Knapper, Mariano Poyatos, Juan Ortí, Matsuo Takashi, Sofia Beça, Gabriella Sacchi, Marc Verbruggen. A visitar até dia 11 de Janeiro.

sábado, 15 de novembro de 2008

"The Famous Rafael Beça"

video

Faz hoje oito dias que inaugurou a minha exposição na Galeria Trindade. Para quem não sabe, uma grande parte das galerias do Porto estão na Rua de Miguel Bombarda e inauguram todas ao mesmo tempo. Uma determinada marca de bebida alcoólica escolhe um espaço na rua para nesse dia se publicitar. Chegou-me ás mãos este diaporama. Surpresa minha, quando vejo que o "actor" é o meu filho. Eduarda Sá Andresen, obrigada pela surpresa.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Exposição em Miguel Bombarda

“Habitáculo” – co-autoria com Gustavo Costa
Música, grês, técnica do bloco, cozedura a 1150ºC a gás com redução. 50 x 18 x 14 cm. 2006

Este é um dos trabalhos que está exposto na exposição "Refúgios", na Galeria Trindade, em Miguel Bombarda. Inaugurou no sábado e foi visitada por 450 pessoas. Não está mal. Vamos a ver como corre até ao final do ano.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Galeria Trindade

Ontem fui montar a exposição que inaugura no próximo sábado. É o espaço mais pequeno onde exponho, o oposto da última, que era bem grande. Ao todo estão expostos onze trabalhos, que são uma pequena selecção dos que estiveram na exposição da Holanda. A reacção na Holanda foi excelente, vamos a ver o que diz o publico português.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

"REFÚGIOS"

Esta é a foto do convite da minha próxima exposição. Intitula-se "Refúgios"e inaugurará no dia 8 de Novembro pelas 16h. Poderá ser vista na Galeria Trindade, na Rua de Miguel Bombarda 200, até ao dia 31 de Dezembro. Esta exposição faz parte do Porto.Arte Contemporânea circuito cultural de Miguel Bombarda.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Catálogo do I encontro internacional de ceramistas em Boassas

Já lá vão mais de quatro anos desde que organizei e coordenei o I Encontro Internacional de Ceramistas em Boassas. Neste encontro participaram, para além de mim, Rute Marcão, Fernando Malo, Javier Fanlo, Juan Orti Garcia, Rafael Pérez Fernández, Kaori Yamauchi, Yasuyuki Ise, Gustavo Costa. O meu amigo Arcádio Blasco foi o convidado especial que esteve o tempo todo connosco a trabalhar. Seguiram-se duas exposições dos resultados obtidos, uma no Forum da Maia e outra no Museu Gonzalez Martí, Valência. No dia de inauguração da exposição, no Museu, houve também uma "mesa redonda", com todos os participantes do encontro presentes, Portugal, Espanha, Japão. Na altura foi editado o catálogo do encontro, com a minha coordenação e quem o quiser pode ainda adquiri-lo. Custa apenas 6 euros mais despesas de envio.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

From Womb to Tomb - Refuges and Habitats

video

Aqui está o vídeo de apresentação da exposição "From Womb to Tomb - Refuges and habitats", que esteve patente na Da Lawei Galerij, Holanda, no passado mês de Abril. Neste blog podem ser vistas fotos e artigos que foram feitos expressamente para a exposição. A música da exposição, claro, foi do Gustavo. A montagem do vídeo foi feita pelo Rui Vieira, a quem muito agradeço.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Metáfora do Mundo

video

Este é o vídeo da exposição "Metáfora do Mundo", que esteve na Velha-a-Branca, em Dezembro de 2007. Uma sala muito pequena, mas num edifício muito curioso. A exposição não teve direito a som, mas o Gustavo fez esta música para o vídeo, o Rui fez algumas fotos da exposição, O Manuel escreveu o texto (que já aqui foi publicado). A montagem do vídeo é da autoria de Rui Vieira.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Respira

Esta foto é de um trabalho da Rute Rosas, da sua ultima exposição.

Respira. É isso que eu estou a fazer agora. Depois de estar a trabalhar exclusivamente no restauro de azulejos ao longo de mais de mês e meio, deixei de ter tempo de respirar um pouco. Apesar de ser um trabalho que gosto de fazer, é monótono, visto não ter qualquer tipo de criatividade.
Esta semana vai servir para respirar um pouco e organizar trabalho que ficou pendente. Daqui por uns dias terei que ir montar a minha nova exposição, por isso tenho mesmo que aproveitar esta semana para respirar.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Forno de Papel




Este foi um dos fornos de papel construído durante o "Simpósio de Fornos de Papel", em Sardoal. Simpósio esse organizado por Rute Marcão, em 2001. Paralelamente também construimos um forno para vidrar peças pela técnica de rakú. Foram dez dias de trabalho a construir peças e fornos e transportava o Rafael de cinco meses na minha barriga.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Restauro no centro histórico do Porto

Aqui está o resultado dos primeiros 50 azulejos. Já tenho outra fornada preparada para ligar hoje, mas ainda me falta pintar mais 30 e uma última fornada. Se tudo correr bem, entrego o trabalho ao cliente no fim desta semana. O edifício já está pronto para os receber. Quando forem colocados, fotografo para compartilhar o resultado. Depois o tempo dár-lhe-á a patine que falta.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Restauro no centro histórico do Porto


Depois de aprovados os testes de cores, comecei a pintar os azulejos. Como o forno eléctrico é pequeno e os azulejos têm relevo, não posso cozer mais que 50 de uma vez. Vamos a ver qual é o resultado.

domingo, 5 de outubro de 2008

Dead Can Dance - Yulunga



Creio que esta música é de 1993. Ao longo destes anos, já a ouvi centenas de vezes e nunca me canso.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Restauro no centro histórico do Porto

Enquanto ia reproduzindo azulejos e cozendo, fui fazendo testes de cores. Foi a primeira vez que fiz tantos testes, já estava a desesperar. A cor de fundo não é fácil, os azulejos não estão homogéneos e a cor está suja. Como eram pintados e depois o vidrado transparente era aplicado por mergulho, sujava o branco de fundo, ou seja, de branco tem muito pouco. Para obter uma cor aproximada, tive que "sujar" o branco com castanho e violeta. Mas a sujidade de mais de 100 anos não é possível. Um teste de cor foi aprovado, agora é passar para uma quantidade grande e ver se a cor se mantém. Sim, porque quando se faz um teste de cor em que se trabalha com 0,1 g de violeta e o,2 de castanho e 10g de branco, é diferente de quando se passa para kgs. Vamos a ver como segue.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Catálogo de Culla

Como referi outro dia, o catálogo de Culla tem alguns textos sobre o encontro e seus respectivos participantes.
Aqui fica o excerto do texto de Wenceslao Rambla Zaragozá, professor catedrático da Universidade Jaume I e Comissario da exposição, sobre o meu trabalho.


"La metaforización del mundo a través e raíz y apariencia orgánica parece construir el motor que activa la creatividad de esta autora portuguesa en el universo de la ceramica artística. No en vano le naturaleza constituye, casi siempre, la motivación que impulsa su obra. Sus pastas coloreadas, el gres chamotado, la malaquita o caolín calcinado empleado como sacante, son parte del sustrato matérico y técnico con que manipula y da vida a esas formas de raigambre orgánica que establecen la visión poética de Beça.

Formas que, en ocasiones, se visualizan como cordilleras que se enroscan en concéntricas formaciones; cuando no es el caso en que, otras de sus piezas, quedan como tubulares formas de pastas coloreadas que les dotan de una peculiar vitalidad. Pastas de similar contracción a 1180 grados de cocción aproximadamente, cordilleras que no son sino regueros de pasta incrustada en una base más o monos plana y en un contexto de objetoindividualizado; para pasar Beça a la realización de murales donde conjuga piezas cuadrangulares de sistintos tamaños con un acabado protuberante que mimetiza ondulaciones ( desgastes de pisadas sobre una losa, alegoría marina... ...cualquier cosa puede ser, sugerir, evocar), sin olvidar toda esa serie de elementos incrustadores, cual pequeñas láminas de cortantes percepción, que nos recuerdan la disposición vertical de lajas en una pared de piedra seca o el apilamiento de libros. Todo ello explicita el vocabulario, la articulación, la gramática en suma, con que esta artista construye su atractivo universo de formas cerámicas proclives a producirnos una impresión visual y táctil, y una experiencia estética como consecuencia de tal fenomenología, a quien esté dispuesto a contemplar su trabajo esmerado, cuidadosamente elaborado e intencionalmente bien planteado."

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

"Habitáculos"

video

Este é o video da exposição que esteve no Museu Martins Sarmento, em Guimarães, em Outubro de 2006. Para esta exposição convidei os meus dois irmãos, o Gustavo para a musica (como já é habitual desde 2000), e o Rui para a co-autoria num dos trabalhos com fotografia.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Catálogo de Culla

Chegou-me ás mãos (finalmente), o catálogo do I Encontro Internacional de Culla. É o catálogo que acompanha as exposições que se têm vindo a realizar sobre o encontro. Este catálogo tem alguns textos a falar sobre o encontro e sobre os participantes. Aqui fica um excerto do texto de Jaume Coll Conesa, director do Museu nacional de Cerâmica "Gonzalez Martí", sobre o meu trabalho.

"...Sofia Beça, autora de gran calidad plástica que domina texturas, forma y color, hunde sus raíces en la tradicíon local buscando expresar lo esencial del contacto del hombre com su terruño, enriquecido históricamente en el contacto cultural entre lo musulmán, como esencia de lo oriental, y la tradición local del extremo occidente. Su obra reflexiona sobre aspectos básicos de la relación hombre-medio tanto relativas a su visión como a la necesaria adaptación cultural para la supervivencia humana en relación con aquel, como vemos en sus refugios o en obras en las que plantea nuestra percepción del cosmos. Destaca de su visión un canto a la vida humana y a su complejidad a través de la materia..."

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Gustavo em "Serralves" e na "Velha"

O meu irmão Gustavo vai tocar na próxima sexta-feira, ás 22.00, no Auditório de Serralves

“SCREEN PLAY” - CHRISTIAN MARCLAY
Foi estreado na bienal Performa em Nova Iorque, e é inspirado pela tradição da partitura gráfica, expandindo-a para incluir imagens em movimento e elementos gráficos digitais muito simples que funcionam como sinais sugestivos de emoções, energia, ritmo, tom, volume e duração.Três grupos musicais diferentes são convidados a fazerem, um de cada vez e em sequência, a interpretação e improvisação ao vivo baseado no filme ‘partitura’ projectado, permitindo ao público testemunhar o processo musical implicado em cada uma das três bandas sonoras criadas. Christian Marclay é um artista plástico, performer e músico sediado em Nova Iorque.
Grupo I
Nuno Rebelo - guitarra
Marco Franco - bateria
João Paulo Feliciano - órgão
Rafael Toral - sintetizador modular e electrónica
Grupo II
João Martins - saxofones e instrumentos electro-acústicos caseiros
Gustavo Costa – percussão e electrónica
Jonathan Saldanha – electrónica
Grupo III
Steve Beresford - electrónica
Mark Sanders - percussão
Alan Tomlinson- trombones alto e tenor

No sábado toca, ás 22.30 horas, no Estaleiro Cultural Velha- a -Branca, em Braga.

Gustavo Costa nasceu no Porto em 1976. Estudou percussão com Miguel Bernat, Produção e Tecnologias da Música na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto e Sonologia com Paul Berg, Konrad Boehmer e Clarence Barlow no Instituto de Sonologia em Haia, Holanda. Desde 1989 que participa e colabora com diversas formações e músicos ligados ao rock underground e à música experimental como Genocide, Stealing Orchestra, Três Tristes Tigres, Drumming, Gregg Moore, Ethos Trio, Damo Suzuki ou John Zorn.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Restauro no centro histórico do Porto


Já tenho duas cópias do molde do azulejo para poder fazer as reproduções, que também já fui executando. Tenho que entregar ao cliente 120 azulejos, mas como há sempre alguns acidentes pelo caminho, terei que fazer alguns mais. Este foi o meu trabalho durante uma semana e vai continuar durante esta que começa. Depois outro passo se seguirá.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Restauro no centro histórico do Porto


Durante cerca de um mês (provavelmente mais), irei estar ocupada com este edifício. Um casal comprou a casa, estão a restaurá-la e a fachada tem muito poucos azulejos que possam ser recuperados. Calhou-me a mim fazer a cópia dos que faltam. Este edifício está na zona histórica do Porto, o que obriga a que mantenham a fachada tal como era.
Por vezes surgem-me este tipo de trabalhos e eu aceito fazê-los para poder contribuir para a preservação dos mesmos.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Queimada




"Barreira"
Barro chamotado, ferro, técnica da lastra, vidrado a 980ºC, queimado posteriormente na fogueira. 53 x 78 x 13 cm. 2002

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Prémio Argo


Second Stone
Grês e porcelana, técnica da lastra, temperatura 1280º C., redução e carbonação, representação gráfica por computador do espectro sonoro da música. 300x36x6 cm. 2001

Com este trabalho ganhei em 2001, o 1º Prémio de CER.TA.ME, organizado pela A.R.G.O., Gondomar. Não o ganhei sozinha, ganhei-o com o meu irmão Gustavo, pois este trabalho tinha a sua colaboração musical. Na foto não se vê, mas junto, tinha um computador onde se poderia "ver" e ouvir a música.
Organizado por uma associação local, mas pago pela Câmara Municipal de Gondomar, logo o trabalho ficou para eles. Que é feito do trabalho?? Guardado num canto? Em casa de alguém? No lixo? De uma maneira geral, quando os prémios são pagos pelas Câmara, nunca mais se vê os trabalhos. Que lhes farão??

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Mural de Alcora



O meu irmão Rui, que tem vindo a colaborar comigo em alguns trabalhos, foi passar ferias a Valência. Aproveitou e fez mais uns km (cheios de rotundas) e foi ver o meu trabalho, vencedor em 2005 do 1ºConcurso Mural Undefasa, em Alcora. Intitula-se "Muro dentro do muro". Está colocado na zona antiga de Alcora, numa pequena praça, muito perto do Museu de Cerâmica. Na altura, para além de colocar o mural, foi da minha responsabilidade escolher a cor da parede. O resultado foi este. Já tinha escrito um artigo sobre este prémio com uma foto, mas a qualidade não era das melhores. Agora o Rui fez-me o favor de enviar estas com mais qualidade. Rui, obrigada por teres feito questão de ir vêr o trabalho e de tirares umas fotos.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Fornada com temporal

Na foto vê-se a diferença entre uma peça e outra. A da esquerda apenas foi a 1000ºC, a da direita foi a 1100ºC. A diferença está na cor da pasta e tinha colocado limalha de ferro em cima para criar manchas, como não foi á temperatura pretendida, não ficou nada.

Nesta foto, a peça da direita foi a 1100ºC e a da esquerda foi apenas a 1000ºC. Uma ficou castanha, a outra ficou preta.

Ainda não me refiz do que se passou ontem. Estava a fazer a ultima fornada, antes de regressar ao Porto. O forno trabalhava a bom ritmo e já ia a 900ºC quando se começou a aproximar um temporal. Comecei a achar que se viesse na minha direcção iria ter problemas. Infelizmente foi o que aconteceu. Já ia a 1000ºC quando tive que deixar de alimentar o forno. A minha grande preocupação passou a ser arranjar forma de proteger o forno, uma vez que está exposto ao ar. Recorri a um vizinho que me cedeu uma chapa para improvisar na cobertura do forno. O temporal chegou com rapidez e cheio de força. Muito vento, chuva e trovoada. Tudo em grande quantidade. Não podia fazer mais nada a não ser esperar que aquele temporal fosse embora. Ao fim de duas horas lá foi.
Tentar dormir para de manhã ver os estragos. O forno felizmente não teve danos, mas a fornada foi uma desilusão. Faltavam apenas 100º para terminar. O resultado está nas fotos, a diferença de uma fornada para a outra. A "sorte" é que estas peças fazem parte de outro grande grupo que já tinha cozido e que as posso misturar no trabalho sem que o estrague, mas todas as outras peças que estavam no forno ficaram aquém das expectativas. Melhores dias virão......de preferência com bom tempo.

domingo, 24 de agosto de 2008

Trabalho nas férias


" Funcho"
Grês, engobe, limalha de ferro, técnica do rolo, cozedura a 1100ºC em forno lenha. 65 x 42 x 36 cm. 2008

Como tinha dito anteriormente, fiquei aqui por Outeiro a trabalhar. Tantas fotos tirei de funchos, que acabei por ser influenciada e fazer uma peça baseada nessa planta.
Mais trabalhos tenho feito, mas ainda não estão terminados nem fotografados. Lá iremos....tenho uma semana para terminar tudo.
Esta peça já não sai de Outeiro, vai ficar aqui na casa da minha mãe.

domingo, 10 de agosto de 2008

Prémio em Aveiro

"Borboletear"
Grês, engobes, micas, técnica do bloco, cozedura a 1150ºC em forno de gás, em atmosfera redutora. 420 x 200 x 10 cm. 2007

Em 2007 ganhei, com este trabalho, uma Menção Honrosa na VI Bienal de Cerâmica Artística de Aveiro. Está ainda comigo, à espera de uma nova exposição ou de um novo dono.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Trabalho nas férias

Vim até Outeiro para passar uma semanita. Já lá vai mais uma semana do que o previsto e não estou com vontade de regressar ao Porto. Não sou de cá, mas cada vez me sinto melhor por estas bandas. Mas comecei a sentir falta de pôr "as mãos na massa" e fui até Espanha comprar barro. Aqui tenho mais espaço e o forno de lenha mesmo ao lado. Para além disso, é um privilegio poder trabalhar com o som dos pássaros. O calor faz com que as peças sequem mais do que o devido e isso já me está a causar problemas. Vamos a ver se consigo fazer tudo que tenho em mente sem acidentes. Depois disso seguir-se-á a tarefa de as cozer.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Férias em Outeiro

Um passeio de bicicleta, de máquina ás costas e voltei a encontrar vários exemplares de carrapatos. Tirei uma série de fotos a diferentes animaizitos da mesma espécie, todos eles com as suas cores. Este virou-me as costas.

Este foi o único gatito que se deixou fotografar. Andavam cerca de uns sete de um lado para o outro, assustados com a minha presença. A mãe observava á distancia.

Esta foto, tirei-a em Picote, uma pequena aldeia perto de Miranda do Douro. Nunca lá tinha ido e fiquei com boa impressão da aldeia. Tem a sorte de estar a ser requalificada, mas esta casa que fotografei, não me parece que vá ter a mesma sorte. Eu não sou arquitecta, mas parece-me ser um bom exemplo de arquitectura.